quarta-feira, 21 de setembro de 2016

MAIS ATIVIDADES SOBRE PRIMAVERA















E A PRIMAVERA VEM AÍ!

Objetivos:
★ Desenvolver a coordenação motora.
★ Produzir um móbile.
★ Comemorar a chegada da primavera e, assim, aprender mais sobre as estações do ano.


Após um longo período de frio as flores começam a nascer e o colorido de árvores e jardins volta a encantar nossas vidas. Essa é, certamente, a estação mais linda do ano: a primavera – que começa em 23 de setembro e termina em 21 de dezembro, no hemisfério Sul. É a estação que sucede o inverno e antecede o verão. 

Uma de suas características mais marcantes da primavera é o reflorescimento da flora e da fauna, propícia para acasalamentos e procriação dos animais. Durante esse período também acontecem mudanças da umidade do ar, pois a estação anterior era muito seca. As chuvas tornam-se constantes, passando a cair no final das tardes. 

Para comemorar uma estação tão rica como essa, vamos produzir um móbile de flores para enfeitar a escola e também a própria casa dos pequenos? A arte-educadora e psicopedagoga, Raquel Beraldi Gottardi, ensina como montar essa peça decorativa que trará, ao ambiente escolar, o colorido e a alegria da primavera. 


Para comemorar uma estação tão rica como essa, vamos produzir um móbile de flores para enfeitar a escola e também a própria casa dos pequenos?


MÓBILE DE FLORES


Materiais:
- Papelão
- Lápis
- Tesoura
- Tinta acrílica ou guache
- Barbante ou fio de náilon
- Cola colorida (dispensável)
- Molde flor


Como fazer:

1º Passo.
Em pedaços de papelão, peça para as crianças desenharem flores de diversas formas (se preciso, faça na lousa, ou entregue moldes de flores, para que sirvam de modelos).


2º Passo.
Recorte as flores desenhadas no papelão. Nesse momento pode-se precisar da ajuda do professor.

3º Passo.
Após recortar as flores de acordo com suas formas, peça para as crianças pintarem-nas da maneira que quiserem – frente e verso. Por ser papelão, a tinta guache não cobre por completo a superfície, uma opção seria a tinta acrílica com a qual se consegue um melhor acabamento e, consequentemente, melhor qualidade estética. 


4° Passo
Faça o contorno das flores com cola colorida ou cole pedaços de barbantes contornando o formato da flor. Pinte com a cor desejada.


5° Passo
Para montar o móbile, corte pedaços de barbante de tamanhos diferentes que podem medir de 50 cm a 1 m. Se o barbante também for branco ou bege, ele pode ser pintado de verde imergindo-o em um pote de tinta guache verde. O barbante pode ser trocado pelo fio de náilon que, por ser fino, facilita na hora de passar as flores. Lembrando que é necessário deixar um pedaço a mais para poder amarrar e sustentar o móbile.


6° Passo
Depois de prontas e secas, escolha algumas flores para que componham o móbile. O ideal é de 3 a 6 flores por peça, dependendo do tamanho do barbante. 7° Passo
Com a fibra do papelão na posição vertical, e com ajuda de um palito de dente (se necessário), passe o barbante por dentro de uma fibra do papelão como se fosse uma costura. Após passar a flor, faça um nó no barbante para que ela não escorregue. Passe todas as flores escolhidas e finalize o trabalho


7° Passo
Com a fibra do papelão na posição vertical, e com ajuda de um palito de dente (se necessário), passe o barbante por dentro de uma fibra do papelão como se fosse uma costura. Após passar a flor, faça um nó no barbante para que ela não escorregue. Passe todas as flores escolhidas e finalize o trabalho.





Fonte: Guia Prático para Professores de Ensino Fundamental I

domingo, 18 de setembro de 2016

SEQUÊNCIA DIDÁTICA: DIA DA ÁRVORE



Público-alvo: Alunos de 1º ao 5º Ano do Ensino Fundamental

Tempo estimado: 1 semana

Objetivos:
·         Despertar em cada criança a consciência ambiental para que tenham atitudes de preservação e respeito com o meio ambiente.
·         Conhecer a importância das árvores no ambiente urbano para que possam valorizá-las e preservá-las.

Justificativa:
As árvores são verdadeiras fábricas de saúde, devido aos inúmeros benefícios que oferecem sem elas a vida nas cidades seria praticamente impossível. Sendo a escola um espaço de construção de saberes e de desenvolvimento de habilidades e competências necessárias à formação de um sujeito crítico, responsável, investigador e interativo, pretende-se realizar esta sequência didática a fim de promover o conhecimento e valorização das árvores e seus benefícios, bem como a reflexão e mudança de atitudes frente ao meio ambiente.

Conteúdos:
·         Meio Ambiente – árvores
·         A serem definidos pelo professor...

Ações Didáticas:
·         Apresentação do texto “O menino e a árvore” de S. Silverstein, traduzido por Fernando Sabino; explorando as ideias principais através de questionamentos orais e escritos.
·         Produção de texto sobre a importância das árvores.
·         Passeio ecológico de observação das árvores existentes no entorno da escola.
·         Passeio ecológico ao Horto Florestal ou Viveiro para conhecer o processo de produção de mudas de árvores.
·         Plantio de mudas de árvores.
·         Elaboração de croqui com a localização e nome das árvores existentes na escola.
·         Confecção de uma árvore em EVA para exploração das partes de uma planta superior completa.
·         Exploração de partes das plantas: frutos, folhas, galhos.
·         Elaboração de panfleto sobre a importância das árvores e preservação.
·         Atividades de pintura, recorte e colagem.
·         Pesquisa no laboratório de informática sobre curiosidades das árvores e espécies nativas.
·         Elaboração de um painel com as curiosidades pesquisadas.
·         Diálogo e discussão sobre desmatamento.
·         Teatro “A Árvore e seus amigos”.

Avaliação:
Será avaliada a participação, envolvimento, criatividade dos alunos individual e coletivamente durante a realização das atividades.


Desenvolvimento das atividades propostas:


Apresentação do texto “O menino e a árvore” de S. Silverstein, traduzido por Fernando Sabino; explorando as ideias principais através de questionamentos orais e escritos.

·         O texto está disponível em:


·         O texto poderá ser apresentado em forma de cartaz, para exploração oral, na qual pode-se utilizar uma metodologia de leitura mais dinâmica e diversificada (leitura coletiva, leitura por grupos através de fichas distribuídas com imagens de espécies diferentes de árvores ou partes de uma planta), destacar palavras-chaves no texto, procurar palavras com determinadas dificuldades ortográficas.

·         Junto ao texto, poderá haver a imagem de uma árvore para que coletivamente os alunos enfeitem, utilizando folhas coletadas, galhos, pintura.



 Produção de texto sobre a importância das árvores.


Para esta atividade poderão ser utilizados slides, em Power Point ou outro programa, com as utilidades das árvores para que sejam discutidos pela turma. Ou por meio de pesquisa solicitada como tarefa (tema de casa). Dessa forma, os alunos iniciam a compreender que um texto com argumentos precisa ter embasamento, só se escreve bem sobre aquilo do qual se tem conhecimento.








Passeio ecológico de observação das árvores existentes no entorno da escola.

O passeio de observação pode ser feito dentro do próprio pátio da escola, caso este seja bem arborizado. Caso seja possível, convidar um biólogo, engenheiro florestal ou agrônomo para junto aos alunos realizar a identificação das espécies encontradas. A partir disso, elaborar um croqui do pátio da escola com a localização das árvores e seus nomes comuns; também poderão ser confeccionadas plaquinhas de identificação para as árvores. E ainda, uma pesquisa sobre as espécies encontradas: curiosidades, uso medicinal, uso da madeira, frutos, aves que apreciam os frutos, longevidade média.



Passeio ecológico ao Horto Florestal ou Viveiro para conhecer o processo de produção de mudas de árvores.

Visitar um viveiro onde sejam produzidas mudas de árvores, a fim de conhecer o sistema de produção, desde a semeadura até a muda pronta para o plantio. Registrar fotograficamente o passeio para confeccionar um pôster com as imagens e relatos dos alunos. Se possível, solicitar a doação ou comprar uma(s) muda(s) de árvore(s) para ser (em) plantada(s) pelos alunos na escola ou outra área.



Confecção de uma árvore em EVA para exploração das partes de uma planta superior completa.

A professora poderá confeccionar a árvore e levá-la para que os alunos montem, explorando cada uma das partes e suas funções: raiz, caule (tronco), folhas, flores, frutos e sementes. Utilizar ainda como registro escrito alguma atividade xerocada sobre as partes da planta (existem diversas disponíveis na internet).
Ainda explorando as partes da planta, seria válido levar diferentes tipos de sementes, folhas e frutos para os alunos explorarem.



Elaboração de panfleto sobre a importância das árvores e preservação.
Através de recortes e colagens, cada aluno elabora um panfleto sobre a importância das árvores e preservação das mesmas, após entregá-los na vizinhança da escola.



Pesquisa no laboratório de informática sobre curiosidades das árvores e espécies nativas.
Realizar uma pesquisa na internet sobre curiosidades das árvores, espécies da região, desmatamento. Discutir em sala de aula sobre tudo que foi descoberto na pesquisa e após montar um painel.




 Teatro “A Árvore e seus amigos”.
Para finalizar, apresentar para colegas de outras turmas um teatro, aproveitando o espaço escolhido para expor todos os trabalhos realizados sobre o tema.

A Árvore e seus amiguinhos
As crianças formam três grupos no palco.

GRUPO A: Crianças
GRUPO B: Passarinhos
GRUPO C: Flores

As crianças do grupo B caracterizadas de passarinho, com máscaras com bicos e asas de papel crepom (aprenda a fazer aqui). As crianças do grupo C caracterizadas de flores com toucas, com pétalas, blusinha e saias em papel crepom ou tule (tem dicas pra fazer aqui). Uma menina representa a árvore. Quando os coleguinhas formam os grupinhos, ela já deve estar lá, ao centro bem quietinha. Ela observa em torno de si e logo exclama:
- Como está lindo o meu jardim! Parece que a primavera está chegando...
As crianças dos grupinhos A, B e C falam:
- Bom dia, Senhora Árvore! Bom dia!
A árvore responde:
- Bom dia! Quem são vocês? O que fazem no meu jardim?

GRUPO A
Somos muitas crianças;
Tua sombra viemos procurar.
E também os teus frutinhos
Queremos experimentar.
O teu cantinho é gostoso,
Teu ar puro é proteção.
O teu fruto delicioso
É doce alimentação.
A árvore se dirige aos passarinhos:
- Vocês aí, quem são?

O GRUPO B
Somos os passarinhos,
Em ti faremos nossos ninhos.
Aqui viveremos contentes
A cantar pra toda gente.

O GRUPO C
Somos as flores.
Que a Primavera traz em profusão.
Flores que nascem da terra.
E flores que jogas no chão.
Nós nos misturamos assim,
Numa alegria de cores.
E fica todo o teu jardim,
Enfeitadinho de flores.
A árvore exclama contente:
- Estou contente! Tenho muitos amiguinhos no meu jardim.

Para terminar, a árvore e seus amiguinhos cantam:
(Música: Pirulito que Bate Bate)

Passarinho a saltitar,
Cantando alegre assim.
Flores a enfeitar
Para sempre o meu jardim!

Primavera aqui sentimos,
Tantas flores nunca vimos. {bis

Borboletas a voar,
O sol brilhando enfim.
Flores a enfeitar,
Como é lindo o meu jardim.

Fonte: Brincando no Palco




 Por Daniela Gonçalves Oliveira – Blog Alfabetização Divertida

domingo, 4 de setembro de 2016

TRILHA DAS CORES





NÚMEROS EM LIBRAS












SEMANA FARROUPILHA - VÍDEOS

Deixo aqui algumas sugestões de vídeos que retratam a Cultura Gaúcha:



"The gaucho way"

   O canal americano NBC produziu uma reportagem especial sobre os gaúchos durante os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. Com apresentação do ex-âncora Tom Brokaw e duração de aproximadamente quatro minutos, The gaucho way trata da cultura do sul do Brasil, comparando os gaúchos aos caubóis americanos.


video



"Tradições do Brasil: Rio Grande do Sul"

video





sábado, 3 de setembro de 2016

ATIVIDADES PRÁTICAS DIVERSAS COBRE CULTURA GAÚCHA



As sugestões abaixo podem ser utilizadas para trabalhar a Cultura Gaúcha durante a Semana Farroupilha ou serem utilizadas como tarefas de uma Gincana sobre o tema:
  • Construção de um brinquedo com o uso de materiais recicláveis (brinquedos sugeridos: bilboquê, pernas de pau, cinco marias e cavalinho de pau)
  • Apresentação artística de dança tradicional
  • Criação de histórias em quadrinhos referentes ao tradicionalismo
  • Apresentação em slides sobre os símbolos do Rio Grande do Sul
  • Redação, ou apresentação teatral sobre um dos símbolos do Rio Grande do Sul
  • Apresentação teatral de um conto ou lenda gaúcha
  • Declamação de poesia
  • Elaboração de cartazes com expressões do linguajar gauchesco
  • Cevar um chimarrão
  • Apresentar um vestido de prenda feito com material alternativo
  • Corrida de perna de pau
  • Torneio de vaca parada
  • Apresentar um prato típico da culinária gaúcha
  • Apresentar um dos membros da equipe caracterizado como um dos personagens da história do Rio Grande do Sul
  • Dança das cadeiras somente com prendas
  • Apresentação em slides sobre os jogos, brincadeiras e brinquedos (folclore gaúcho)
  • Apresentação de uma paródia, em ritmo gaúcho, sobre o legado de uma das diferentes etnias do RS
  • Confecção de boneca de pano
  • Confecção de maquete sobre uma lenda gaúcha, ou sobre um ponto turístico do RS

Fonte: http://espacodaeducacaofisicaescolar.blogspot.com.br/

quinta-feira, 1 de setembro de 2016

TEXTO: INDEPENDÊNCIA DO BRASIL

Era uma vez um País chamado Brasil, que foi descoberto, segundo conta a história, por Pedro Álvares Cabral, que veio de Portugal. Porém há quem acredite que a história não seja bem essa.  

Alguns acham que foram os índios que o descobriram, isso porque eles já viviam aqui com suas famílias e muitos animais, os mais lindos que se podia imaginar. Mas foi chegando mais gente e, a cada dia, mais e mais...

O Brasil, então, ficou sendo de Portugal, um País bem distante, onde moravam o Rei, a Rainha e toda a família Real. Eles vieram ao Brasil.

O filho do Rei, o Príncipe Dom Pedro, gostava muito daqui. Passado algum tempo, o Rei e a Rainha tiveram que voltar para Portugal e o Príncipe ficou governando nosso País. Ele ainda era criança. Os Brasileiros gostavam muito do Príncipe. Até que um dia ele cresceu e o seu pai lhe mandou uma carta, ordenando que retornasse à Portugal. Dom Pedro ficou muito bravo, não queria ir embora e, às margens do Rio Ipiranga, no dia 7 de Setembro de 1822, levantou sua espada e gritou: "INDEPENDÊNCIA OU MORTE" e, a partir desse dia, pela coragem do Príncipe, o Brasil ficou livre do domínio do Rei de Portugal, D. João VI. E todos sonharam em viver felizes para sempre.

Créditos:Amiga da Educação.






SEQUÊNCIA DIDÁTICA: CAIXINHA DE CORREIO

Objetivos:

★ Trabalhar a carta como meio de comunicação;

★ Treinar a escrita do próprio nome;

★ Entender a função dos Correios e do carteiro.

Faixa etária: entre 5 e 6 anos


Os meios de comunicação já não são os mesmos. Hoje, as crianças nascem conectadas e as antigas formas de comunicação caem no esquecimento. A proposta deste Plano de Aula é resgatar a prática de enviar cartas e mostrar às crianças que existem muito mais maneiras de se comunicar do que apenas no ambiente virtual.


Primeiro momento – Sensibilização


Inicie a aula explicando e instigando os alunos sobre os vários tipos de meios de comunicação.


Destaque a carta e apresente uma já recebida por meio dos Correios, dizendo que é um meio de comunicação que você dispõe para a troca de mensagens escrita, além de encomendas/objetos.

Crie um clima de suspense, questionando sobre o que se trata a carta, o que há por fora do envelope, por que, e, finalmente, o que haverá dentro.




Segundo momento – Procedimento para a escrituração da carta 


MATERIAIS:
- Folha para escrituração da carta;
- Envelope para o envio da carta;
- Etiqueta para a lacração da carta. 

Divida os alunos e distribua os nomes para quem eles terão que enviar a carta. Assim, todos participam recebendo, cada um, uma correspondência. 

PROCEDIMENTO PARA A ESCRITURAÇÃO DA CARTA:
- A carta poderá conter escrita ou desenho. 
- Toda carta precisa ser assinada, ou seja, na parte final da dela, os alunos terão que colocar o seu nome, indicando, assim, quem escreveu. 

EXEMPLO:






Terceiro momento – Preenchendo o envelope


O envelope deve ser preenchido de forma que possa colocar as informações referentes ao destinatário (pessoa que deverá receber) e ao remetente (pessoa que está enviando).

As informações sobre o destinatário ficam na frente do envelope, onde é colado o selo, já as informações referentes ao remetente devem ser colocadas na parte detrás do envelope, que é o lado com abas.


Pronto, agora é só colocar a carta dentro do envelope, fechá-la com uma etiqueta para lacrar e enviá-la pelos Correios.






Quarto momento – Transformando em realidade


Prepare o ambiente como se fosse uma agência dos Correios.

MATERIAIS:
- Selo (adquirido nos Correios)
- Carimbo
- Caixa de correio

É importante que os alunos entendam que, para uma carta chegar ao seu destino, é preciso selo e carimbo – explicar que quem faz esse serviço e produz esse material são os Correios.

Separe um aluno para selar e carimbar as cartas.

Após, o aluno deverá colocar sua carta na caixinha do correio.

Agora é só esperar o fim da aula que o carteiro (aluno) irá entregar as correspondências.

Aproveite esse momento e abra um espaço para passar informações sobre a profissão e função de um carteiro.


Confecção da Caixa de Correio

 Materiais:

 1 caixa de sapato

 Pedaço de papelão ou papel cartão

 1 folha de color set amarelo

 1 m de tubo PVC com tampa para os dois lados

 2 capas de caderno dura

 Papel de bala de coco vermelho

 Papel de bala de coco (frufru) verde

 Cola branca

 Cola quente

 Tesoura

 Estilete

 Tinta acrílica fosca vermelha

 Pincel

 1 tira de papel color set azul claro

 Marcador permanente

 Florzinhas para enfeitar





Dica esperta! 

Agora, como os alunos já conhecem todo o procedimento de como escrever e enviar uma carta, a professora poderá pedir, como lição de casa, para eles prepararem outras cartas para seus amiguinhos, porque, no outro dia, a caixinha de correio estará esperando por eles para depositarem nela suas cartas.


Quinto momento - Conhecendo uma Agência dos Correios


Realizar com a turma uma visita até a Agência de Correios do seu bairro/município, previamente escrever uma carta seguindo todos os passos anteriores a fim de postá-la, para isso, poderia ser feito um AMIGO OCULTO entre os alunos que deveriam enviar a carta para o colega sorteado.

A carta poderá estar acompanhada de uma bela ilustração.

Registrar a visita por meio de fotografias e expor em um mural em sala de aula.

Construir um texto coletivo  sobre o passeio.

Após o recebimento das cartas nas residências dos alunos, fazer uma roda de conversa para relatarem sobre a atividade.


Sugestões: 

Convidar um carteiro para visitar a turma e conversar contando sobre sua profissão.

PSICOMOTRICIDADE - SUGESTÕES PARA EDUCAÇÃO INFANTIL E ANOS INICIAIS ENVOLVENDO LITERATURA E MOVIMENTOS


quinta-feira, 30 de junho de 2016

A MOCHILA DA CAMILA

Sugestões para trabalhar a música "A MOCHILA DA CAMILA" d Grupo Musical Pandorga da Lua:

1º. Ouvir e cantar a música "A mochila da Camila".

2º. .Explorar a música, entregando uma cópia para cada aluno.

- Fazer leitura coletiva.
- Leitura individual silenciosa
- Leitura por grupos de trabalho
- Circular a palavra MOCHILA, contar o nº de letras e sílabas.
- Registrar outras palavras iniciadas com MO.
- Circular a palavra CAMILA, contar o nº de letras e sílabas.
- Registrar outras palavras iniciadas por CA.
- Explorar as palavras SAPO, SAPATO.

3º Solicitar que os alunos recortem gravuras de objetos que trazem em sua mochila e colar na mochila, colorindo-a:

4º. Tentativa de escrita:
- Pedir que escrevam o nome dos objetos da atividade anterior.
- Fazer a correção coletivamente, registrando no quadro.


5º. Realizar a pesagem das mochilas, trabalhando noções de medidas de massa.
- Qual a mochila mais leve?
- Qual a mais pesada?
- Colar etiquetas com o peso de cada mochila e pedir que ordenem-as em ordem crescente.
- Elaborar gráficos com os resultados da pesagem.


6º. A partir da atividade anterior, elaborar um material informativo para os pais informando sobre os riscos do mau uso e peso exagerado da mochila em crianças.

- http://delas.ig.com.br/filhos/saiba-como-deve-ser-a-mochila-do-seu-filho/n1237538315182.html


quarta-feira, 13 de abril de 2016

JOGO DAS VOGAIS

Em caixas pequenas ou copos descartáveis colar as vogais, uma vogal identificando cada caixa e a flor com a respectiva vogal em letra cursiva deve ser colada dentro, de modo que represente um vasinho de flor.





Sortear no dado uma vogal, procurar nas fichas a imagem de uma palavra iniciada pela mesma vogal e colocar dentro do respectivo vasinho.

Poderá ser feita a exploração da palavra, através de registro escrito no quadro e caderno, montagem da palavra com alfabeto móvel, contagem do nº de letras.


O professor escolhe como fará o jogo: duplas, grupos, gincana.